Artigo Mons. Jonas dos Santos Lisboa

28/03/2020


Agradecimentos e Reflexões sobre o Coronavírus

Que Nossa Senhora abençoe esta iniciativa de colocar no ar este site da Ordem Terceira do Carmo que certamente fará muito bem a muita gente. Fico muito feliz também por eu ter a graça de pertencer a esta família predileta daquela que é conhecida como Nossa Senhora do Carmo.

Quero agradecer de coração à digníssima priora, Dra. Elisângela Salomon por abrir neste site um generoso espaço para a Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney a qual também tenho a graça de pertencer.

Recebi recentemente do Santo Padre o Papa, apesar de imerecido, o título de Capelão de Sua Santidade, ou seja, de Monsenhor. Sou muito grato ao estimado Sr. Bispo da Administração, Dom Fernando Rifan, que fez a solicitação e sobretudo ao Santo Padre o Papa que acolheu o pedido, a quem sinto-me ainda mais ligado. Agradeço a todo o clero da Administração e aos seminaristas presentes à minha investidura como Monsenhor, no seminário Imaculada Conceição.

Agradeço também à Ordem Terceira do Carmo, da Esplanada, que também me prestou carinhosa homenagem presenteando-me com as vestiduras de monsenhor.

Estamos em oração pelo Brasil e pelo resto do mundo que sofre com esta triste epidemia que tanto prejuízo, de toda ordem, tem trazido a todos nós. Rezamos pelos doentes, pelos profissionais da saúde, pelos curadores, pelos detentores do poder público, pelos familiares que sofrem junto com seus enfermos para que o Médico dos médicos venha em socorro da humanidade.

Santa Teresinha do Menino Jesus, freira carmelita, dizia que "tudo é graça". Temos que sermos gratos a Deus na prosperidade como no infortúnio. Algum bem podemos tirar, pensando na fragilidade da vida humana, na impotência do homem diante de um ser microscópico que tanto estrago faz. Nem riqueza, nem fama, nem poder servem para imunizar quando este vírus resolve atacar. Somos chamados a servirmos os que precisam com a solidariedade e caridade do bom samaritano. Não podemos passar ao largo. Jesus se identifica com os doentes e os mais fracos. Precisamos saber ler os sinais de Deus que muitas vezes permite umas tantas coisas para sacudir o homem do seu torpor espiritual, da sua avareza, orgulho, de uma vida moralmente corrompida como a dizer: convertam-se, voltem-se para Mim. A sociedade hoje, em grande parte, se afastou de Deus. Este é mais um chamado d'Aquele que nos ama e que quer que nos salvemos. A dor pode nos aproximar de Deus. Perguntaram a Átila, rei dos hunos, que estava barbarizando a Europa com suas tropas poderosas, porque ele agia dessa forma. A resposta nós conhecemos: - sou o flagelo de Deus.

Será que este vírus que está destruindo não só a economia, mas vidas e esperanças, não poderia também dizer ao mundo de hoje: -eu sou o flagelo de Deus? Estamos reclusos para como num grande retiro, pensarmos um pouco mais em Deus. Que a Virgem do Carmo venha em nossa auxílio


Monsenhor  Jonas dos Santos Lisboa